Weby shortcut 1a5a9004da81162f034eff2fc7a06c396dfddb022021fd13958735cc25a4882f

TCCs Museologia (2016)

Atualizado em 18/04/17 17:18.

2015/2

Título Identidades Negras e Museologia Comunitária: "Encrespa Geral - Goiânia" Movimento Comunitário de Mulheres Negras Protagonistas, Guardiãs e Comunicadoras de Memórias
Aluno(a) Andressa Silva Lopes Cherem
Orientador(a) Profa. Dra. Camila Azevedo de Moraes Wichers
Banca Prof. Dr. Jean Tiago Baptista
Profa. Dra. Luciane de Oliveira Dias
Arquivo PDF (aqui)
Resumo A preservação das memórias coletivas das comunidades negras há séculos tem sido realizada pela oralidade e em espaços institucionais não convencionais. Este trabalho faz uma análise das representações de pessoas negras em instituições museológicas e propõe novas representações à luz da Museologia Comunitária, como no Encrespa Geral. O Instituto Encrespa Geral está comprometido com o desenvolvimento de ações socioculturais, dentro e fora do Brasil, a fim de combater genocídio estético, racismo, xenofobia, discriminação e a intolerância em suas variadas formas. Em Goiânia, esse trabalho tem se caracterizado pelo protagonismo de mulheres negras e seus engajamentos na promoção da igualdade racial e ao resgate à ancestralidade. Utilizando desse espaço para comunicar as memórias através de oficinas, palestras e rodas de conversas, essas mulheres estão contribuindo para as construções de identidades. Os resultados mostraram que a Museologia Comunitária colabora para a preservação dessas memórias ao propor ações que promovam o potencial transformador da sociedade, dando condições para o empoderamento de pessoas, grupos e da própria comunidade.

 

Título Protótipo de Website para O Museu de Arte de Goiânia: Plataformas Web Museológicas na Sociedade da Informação e Comunicação
Aluno(a) Barbara Yanara da Silva 
Orientador(a) Prof. Ms. Pablo Fabião Lisboa  
Banca Profa. Dra. Camila Azevedo de Moraes Wichers
Profa. Ms. Silmara Kuster (UNB)
Arquivo PDF (aqui)
Resumo

O presente trabalho caracteriza-se por estudar, analisar e fazer o diagnóstico do Website do Museu de Arte de Goiânia – MAG, observando sua estrutura física e informacional, no intuito de avaliar e explicitar seus pontos fortes e fracos, problematizando teórica e tecnicamente a sua função de realizar a comunicação museológica e fazer os devidos diálogos com a cadeia operatória da Museologia – Salvaguarda e Comunicação Museológica. Realizamos uma análise de similares identificando em websites de outros museus, propriedades e qualidades recorrentes de estrutura e organização da informação. Debruçamo-nos a discutir neste trabalho a arquitetura, interface e como o usuário deve ser o ponto central para o desenho e organização das informações de um website. Analisamos ainda a inserção do campo museológico e da cultura e como são realizadas as representações simbólicas da sociedade no ciberespaço. Como produto final deste estudo criamos um novo design de interface (aplicação para desktop e mobile) para o website do MAG que contempla caraterísticas requisitadas pelos usuários e características técnicas da Museologia, Ciência da Informação e Design Digital. 

 

Título "Ponteando..." Ecomuseologia e Musealização: Análise sobre a Vila Esperança
Aluno(a) Darlen Priscila Santana Rodrigues
Orientador(a) Profa. Dra. Manuelina Maria Duarte Cândido
Banca Prof. Ms. Tony Willian Boita
Prof. Dr. Jean Tiago Baptista
Prof. Ms. Robson Max de Oliveira Souza
Arquivo PDF (aqui)
Resumo A partir dos pressupostos da Ecomuseologia e musealização, pelos quais os estudos museológicos devem partir da comunidade do uso das práticas de preservação dos bens patrimoniais, estudamos as atividades e ação desenvolvida pela entidade Espaço Cultural em Goiás, Vila Esperança – Educação, Cultura e Arte, entidade vinculada à preservação de valores e saberes da tradição originária Indígena e Afro-brasileira. Suas práticas, suas formas de atuação e a visão sobre o patrimônio que a sustenta direcionando a atenção para as vivências culturais, aos significados construídos por ela e aos usos que ela faz desses significados. Este estudo se propõe a analisar, a partir disso, como o processo de musealização pode ser utilizado como instrumento de preservação da imaterialidade dos bens patrimoniais. Para tanto, argumentamos, neste estudo, que a Vila Esperança se constitui como uma comunidade que preserva com a qual ela se envolve para preservação dos seus bens patrimoniais em um território de possível musealização, na qual a comunidade desenvolve as práticas culturais. E que é construído um sentimento de pertencimento. Para fundamentar utilizam os estudos teóricos acerca do conceito e origem da ecomuseologia, sobre o movimento da Nova Museologia (Varine, Rivière, Duarte Cândido e entre outros); sobre a Musealização considerações sobre a cadeia operatória museológica e musealização in loco ( Bruno, Cury, Desvallées & Mairesse, Duarte Cândido e entre outros). Todo o levantamento teórico é utilizado para embasar a análise do objeto de estudo, que desenvolve ações que contribuem para a preservação da oralidade, ensino e na preservação das vivências culturais originárias brasileiras. 

 

Título A Tatuagem e o seu Contexto Patrimonial 
Aluno(a) Karly Pedatela Desidério
Orientador(a) Prof. Ms. Pablo Fabião Lisboa 
Banca Prof. Dr. Jean Tiago Baptista
Prof. Dr. Rildo Bento de Souza
Arquivo PDF (aqui)
Resumo

O presente trabalho propõe uma análise sobre do contexto patrimonial da tatuagem. Seu estudo aponta para uma discussão dentro sua dimensão histórica, cultural, social, política e econômica, pois compreender o corpo tatuado inserido em um contexto é interpretar a evolução do homem através de seu universo. Para isso, o recorte da vigente composição perpassa pelo mundo da tatuagem abordando sua possível origem e seus elos com um passado muito distante, antes mesmo da era cristã, sua história em vários lugares do mundo e principalmente no Brasil. Trata da sua relação com a religião e as controvérsias instauradas, os vários modos de se fazer tatuagem ao longo de seu percurso histórico, seu maquinário com sua história e todas as mudanças ocorridas até chegar no robô que tatua. Também investiga o processo de introdução do pigmento na pele inserido nos vários contextos culturais, alguns estilos recorrentes e alguns significados que por vezes pareciam obscuros. A análise desse objeto é realizado a partir do conceito de patrimônio cultural, sua contextualização patrimonial e suas abordagens. Considerando cada item mencionado, vale ressaltar que a memória cultural do homem está ligada ao corpo, cuja herança deixada é transmitida de geração para geração acrescentando elementos diferenciados de acordo com sua inventividade à cultura em questão.

 

Título APP "Goiânia Museus": Aplicativo para Smartphone com Informações dos Espaços Museais da cidade de Goiânia - GO 
Aluno(a) Lorena Mello Martins
Orientador(a) Prof. Ms. Pablo Fabião Lisboa 
Banca Profa. Dra. Ivanilda Aparecida Andrade Junqueira
Profa. Dra. Manuelina Maria Duarte Cândido
Profa. Rita de Andrade
Arquivo PDF (aqui)
Resumo

A presente monografia tem a finalidade de apresentar o protótipo de aplicativo para Smartphones intitulado “Goiânia Museus”, tal aplicativo tem por objetivo divulgar os espaços museais do município de Goiânia – Goiás. Os dados das instituições foram fornecidos pela Rede de Educadores de Museus em Goiás (REM-Goiás), um coletivo interessado do debate desses espaços como lugares de educação. Para a produção do aplicativo nos baseamos em conceitos teóricos que envolvem, principalmente, as áreas da Museologia, a Ciência da Informação e o Design Gráfico, como: discussões sobre espaços museais, cibermuseologia, museus virtuais, memória na era do ciberespaço, educação não formal, teorias da cibercultura e de mídias locativas e teorias de referências visuais, como estudos sobre cor, tipografia, interface e arquitetura da informação, debatendo sobre a uso de Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) em instituições museais. A Cibermuseologia é um campo da Museologia que se realiza no ciberespaço, não sendo uma substituição da realidade, mas sim uma extensão da mesma, servindo como ferramenta auxiliadora das ações museológicas e transmitindo o conhecimento no ciberespaço, além de proporcionar a interação e interatividade através da rede. Fez-se, também, uma análise de similares de três aplicativos de museus que nos auxiliaram na produção do app “Goiânia Museus”. Após tais considerações, criou-se o protótipo do aplicativo que conta com as informações das instituições museais e espaços para disseminar a Museologia e a REM-Goiás.

 

Título Museu Antropológico da UFG - Uma trajetória de Eventos e Mudanças. O Primeiro Acervo, Sua Documentação e Equipe e Inventário
Aluno(a) Luciano Costa Jucá
Orientador(a) Profa. Dra. Vânia Dolores Estevam de Oliveira
Banca Profa. Dra. Ivanilda Aparecida Andrade Junqueira
Prof. Dr. Rildo Bento de Souza
Arquivo PDF (aqui)
Resumo

Criado em 1969, o Museu Antropológico foi um projeto idealizado que se tornou realidade através das mãos do Prof. Acary de Passos Oliveira, o Museu é responsável hoje dentro da Universidade Federal de Goiás, por inúmeras pesquisas em diversas áreas como Antropologia, Arqueologia e seu acervo é composto por objetos de cultura indígena, cultura popular e contemporânea abordada em sua exposição “Lavras e Louvores”. O Museu desde a época de sua criação inovou, mudou, em todos os seus aspectos sendo ele administrativo, ou na pesquisa científica e está sempre preparado para continuar o caminho de transformações. A documentação foi uma das esferas dentro dessa instituição ao qual, teve de mudar por necessidade da própria, os documentos ficam defasados, mas a documentação antiga é uma fonte tanto de pesquisas científicas quanto de pesquisas administrativas. E foi essa documentação uma das fontes de pesquisa deste Trabalho de Conclusão de Curso. Nossa abordagem não ficou reduzida à documentação, fomos em frente contando a trajetória do Museu, a função da documentação, os problemas enfrentados pelo Museu na documentação e por quem trabalha nela, e o que se pode fazer no futuro.

 

Título Museu de Ciências da Universidade Federal de Goiás, Propostas expositivas e reflexões em dois Núcleos Museológicos: Herbário e Museu de Morfologia
Aluno(a) Luis Felipe Pinheiro Peres de Santana
Orientador(a) Profa. Dra. Manuelina Maria Duarte Cândido
Banca Prof. Dr. Maurício Cândido da Silva (Co-orientador)
Prof. Ms. Pablo Fabião Lisboa
Arquivo PDF (aqui)
Resumo

Com o desenvolvimento do Museu de Ciências da Universidade Federal de Goiás, novas portas se abrem para a disseminação do conhecimento científico local. O objetivo principal deste trabalho é planejar e propor duas exposições; uma para o Herbário e outra para Museu de Morfologia. Ambos estão situados no Campus II da Universidade e já constam no levantamento feito para o novo museu, mas agora são sujeitos desta proposta museológica que visa implantar melhorias nesses espaços. Ao longo dos capítulos também será discutido o cenário atual dos Herbários, Museus e Centros de Ciência no Brasil. Tendo como primeiros estudos instituições de diferentes nacionalidades; o Museu de Anatomia veterinária da USP e o Science Museum de Londres. Seguidos por ações de análise e planejamento de exposições e sua mediação.

 

Título Caminhos da Pesquisa Museológica no Brasil - Temas e tendências nos Trabalhos de Conclusão de Curso (2008-2014)
Aluno(a) Marcos Francisco Alves
Orientador(a) Profa. Dra. Manuelina Maria Duarte Cândido
Banca Profa. Dra. Camila Azevedo de Moraes Wichers
Prof. Ms. Tony Willian Boita
Prof. Dr. Jean Tiago Baptista
Arquivo indisponível
Resumo O presente trabalho faz um mapeamento e análise dos Trabalhos de Conclusão de Curso desenvolvidos nos bacharelados em Museologia de 15 universidades. A partir da relação “memória e história”, argumenta a necessidade de salvaguarda desta produção acadêmica, que será a base para a formação da memória da pesquisa museológica no Brasil, a partir da qual se escreverá a história do pensamento museológico. A pesquisa foi desenvolvida a partir da elaboração dos apêndices com a lista de trabalhos defendidos. Foi analisado o nascimento da Museologia acadêmica e as diferentes abordagens sobre o saber museológico nos cursos de Museologia. E a partir da lista de trabalhos, foi verificado os temas e tendências encontrados nos Trabalhos de Conclusão, mostrando quais são os caminhos que constroem a pesquisa museológica no Brasil. 

 

Título Espaço de Memória: Requalificação da Praça Cívica
Aluno(a) Reginaldo Soares de Azevedo
Orientador(a) Prof. Dr. Rildo Bento de Souza
Banca Profa. Dra. Ivanilda Aparecida de Andrade Junqueira
Profa. Ms. Danielle do Carmo
Arquivo PDF (aqui)
Resumo Esta pesquisa tem por objetivo ressaltar a importância e a valorização da memória e da preservação dos bens materiais e imateriais envolvidos no processo da revitalização e restauração do espaço de convivência da Praça Cívica atual Praça Pedro Ludovico Teixeira, praça essa valorizada pela comunidade como símbolo ou marco construtivo da nova capital de Goiás, não por ser a primeira construção, mas pelas inúmeras manifestações culturais, artísticas, sociais, políticas vividas e vivenciadas naquele espaço. Nós, futuros profissionais da área de Museologia devemos estar sempre atentos as mudanças, porém, devemos sempre resguardar, preservar e salvaguardar as documentações, a história e a memória de um grupo, pois como é sabido por todos, que os registros mais remotos que se tem da história da humanidade sempre identificam os homens vivendo em grupos, e o conhecimento é passado de geração para geração, mesmo que as pessoas façam parte de diferentes grupos sociais, construindo no decorrer deste processo a cultura, suas identidades, tradições, modos de agir, falar, criar, fazer, viver, curar, julgar etc. É importante lembrar que a conclusão de todo o complexo de obras da Praça Cívica ocorreu no ano de 1933, mesmo ano em que ocorreu o lançamento da pedra fundamental da cidade no dia 24 de outubro dia do aniversário de Goiânia, realizada por Pedro Ludovico Teixeira. Por esta e muitas outras ações e manifestações a praça é considerada o marco inicial da construção de Goiânia, sendo o próprio ex-governador Pedro Ludovico o primeiro morador do Palácio, fato que demonstra o poder político e administrativo do Estado de Goiás e da importância fundamental desta cidade, que é Capital de Goiás, no percurso da história e da memória de todo povo de Goiás, independentemente de classe social ou hierarquia, a praça é sem dúvida um espaço ou local de atração para os moradores da capital e palco de diversas manifestações e festividades cívicas.

 

Título A acessibilidade nos Museus de Goiânia: Investigação e Reflexões da Realidade Sobre o Processo Inclusivo de Pessoas com Deficiência Visual 
Aluno(a) Rosineide Silveira Moreira
Orientador(a) Profa. Dra. Vera Regina Barbuy Wilhelm
Banca Profa. Dra. Vânia Dolores Estevam de Oliveira
Museóloga Dra. Tânia Mara Quinta Aguiar de Mendonça
Arquivo PDF (aqui)
Resumo

Este estudo tem por objetivo mostrar o andamento do processo inclusivo de públicos com deficiências visuais nos museus de Goiânia. Para tanto, buscou-se conhecer os bastidores de algumas instituições no intuito de obter subsídios para mensurar a qualidade de serviços, a composição de projetos expográficos e de práticas de atendimentos acessíveis. Objetiva-se também propor reflexões e questionamentos mais acurados sobre a operacionalização da Acessibilidade nos museus, os quais requerem reordenamentos estruturais de seus espaços físicos, bem como as adaptações de equipamentos e mobiliários existentes.
A pesquisa abrangeu vários tipos de recursos desenvolvidos pela Tecnologia Assistiva que possam a vir e ser disponibilizados como apoio para as pessoas com deficiências especificamente aquelas com a deficiência visual. Essa deficiência se caracteriza como aquela que necessita de maiores adaptações e exige diferentes tipos de recursos tecnológicos que são complementos de apoio para a supressão dos diversos tipos de barreiras entre elas: as barreiras arquitetônicas, comunicacionais e atitudinais, para que se tenham condições de usufruir de ambientes museais. Portanto, elaborou-se um questionário, que foi aplicado em oito instituições museais da cidade de Goiânia, a fim de coletar os dados em campo. A análise de dados foi realizada de forma textual, e permitiu obter uma visão global da situação dos museus em relação ao tema.

 

Título "Olhares de si - Uma Poética Feminina": Uma proposta de Exposição a partir do Acervo do Museu de Arte de Goiânia
Aluno(a) Rosycleia Moura de Oliveira
Orientador(a) Prof. Dr. Rildo Bento de Souza
Banca Profa. Dra. Ivanilda Aparecida de Andrade Junqueira
Prof. Dr. Jean Tiago Bapstita
Arquivo PDF (aqui)
Resumo

Grande parte das obras de arte que compõem o acervo do Museu de Arte de Goiânia foram produzidas por artistas plásticos homens, e/então não é difícil de se encontrar obras que reproduzem de alguma forma as mulheres. O trabalho proposto percorre os acontecimentos que contribuíram para a construção do Museu de Arte de Goiânia, a constituição de seu acervo e participação das artistas plásticas mulheres que colaboraram com a instituição. O objetivo deste trabalho é propor uma exposição itinerante de autorretratos destas artistas, mostrar a mulher como autora de sua obra, e não apenas uma figura de representação.

 

Título Atuação em Rede: Análise do processo de gestão da Rede de Educadores em Museus do Estado de Goiás (REM-Goiás)
Aluno(a) Thalita Lorrany Veleda dos Santos
Orientador(a) Prof. Ms. Glauber Guedes Ferreira de Lima
Banca Profa. Dra. Ivanilda Andrade Aparecida Junqueira 
Kelly 
Arquivo PDF (aqui)
Resumo A presente monografia tem por objetivo – a partir da teoria de rede e das noções de educação e museus – discutir alguns aspectos da Rede de Educadores em Museus de Goiás. Tal tarefa será cumprida a partir da apresentação de parte importante de suas práticas, trajetória, estratégias e ações. Por conseguinte, serão produzidas reflexões comparativas a partir de relações extraídas de outros exemplos de gestão em rede. Este exercício traz consigo o interesse de conseguir definir alguns contornos do que pode ser caracterizado como uma organização em rede. Ao longo da atuação da Rede de Educadores em Museus de Goiás, diversas ações voltadas para educação e museus foram realizadas. Entender como o trabalho em rede colabora na consolidação das suas metas é algo essencial para este estudo. 

 

Título Conservação Preventiva em Instituições Museológicas e Culturais com Acervos Artísticos
Aluno(a) Werydianna Priscila de Almeida Marques
Orientador(a) Profa. Dra. Vera Regina Barbuy Wilhelm
Banca Profa. Dra. Vânia Dolores Estevam de Oliveira
Ms. Mônica Lima de Carvalho
Arquivo Indisponível
Resumo O presente trabalho visa identificar e analisar aspectos importantes da conservação preventiva em relação a instituições museológicas e culturais com acervos artísticos com suporte em papel. Para isso, toma-se como estudo de caso o acervo do artista plástico D. J. Oliveira, salvaguardado no Centro Cultural Universidade Federal de Goiás. Considerando que instituições com acervo semelhante enfrentam desafios em comum, percebemos que boa parte das instituições com acervos artísticos apresentam carência em programas voltados para a preservação de suas obras de arte com suporte em papel. Assim, observando a fragilidade deste tipo de material, recomenda-se a adoção de medidas específicas de Conservação Preventiva.

 

 

2016/1

 

Título “Ó ABRE ALAS, QUE EU QUERO PASSAR”: Peço licença para o Museu do Carnaval de Goiás se apresentar
Aluno(a) Washington Fernando de Souza 
Orientador(a) Prof. Dr. Rildo Bento de Souza  
Banca Prof. Dr. Jean Tiago Baptista
Prof. Ms. Giovanna Adriana Tavares Gomes
Arquivo PDF (aqui)
Resumo

Este estudo tem como proposta expor um novo olhar para a museologia goiana, inserida no contexto museal brasileiro. Assim, o Museu do Carnaval de Goiás – Rei Momo Washington Souza torna se fonte de estudos pelas ações desenvolvidas. A pesquisa tem como objetivo trazer a lume aspectos do carnaval no Brasil, em especial no Estado de Goiás. O processo de criação deste museu traz como referência diversos autores das Ciências Sociais. A metodologia da pesquisa caracteriza-se pelo caráter qualitativo apoiada em pesquisas bibliográficas, documentais e iconográficas que possibilitou discorrer o aspecto historiográfico e cronológico do carnaval no Brasil. A relação entre carnaval e museologia, carnavalesco e museólogo, escola de samba e educação e a criação do museu são fatores fundamentais para entender a visão do público sobre o Museu do Carnaval de Goiás. Neste sentido, optou-se pelo estudo dos relatos e discursos deixados pelo público no museu ao longo do ano de 2015 em suas ações. Para isto, foi utilizado o Qualiquantsoft proposto por Lefreve & Lefreve (2003). Sua aplicação resultou no perfil dos entrevistados a partir de relatos, resumo de ideias centrais, discurso do sujeito coletivo e fluxograma do mesmo. Dessa forma, considera-se a importância do museu, de suas ações e sua transdiciplinalidade no campo museológico.

 

Título

A identidade Cultural Expressa na História Oral presente nas Letras das Músicas do Grupo “Catireiros de Natividade-TO”

Aluno(a) Isabelle Pereira Pinto
Orientador(a) Prof. Ms. Pablo Fabião Lisboa 
Banca Prof. Dr. Yussef Daibert Salomão de Campos 
Prof. Dr. Rildo Bento de Souza
Arquivo PDF (aqui)
Resumo A presente monografia objetiva analisar as letras das músicas e as imagens do encarte do CD do grupo Catireiros de Natividade, um grupo musical regional localizado no interior do Estado do Tocantins, na cidade de histórica de Natividade (considerada patrimônio nacional desde 1987). Sabendo da importância da manutenção das tradições e culturas dos interiores brasileiros, este trabalho investiga 6 músicas do grupo com o objetivo de mostrar a importância da história oral para a preservação da história e costumes locais da cidade de Natividade, bem como apresenta uma entrevista realizada com Belarmino Rumão, integrante e fundador do grupo, nos debruçamos sobre os temas da identidade cultural e da história oral.

 

Título Áreas Verdes de Goiânia: Em busca de uma Simetria Patrimonial 
Aluno(a) Mariana Isaias Naves
Orientador(a) Profa. Dra. Camila Azevedo de Moraes Wichers  
Banca Profa. Dra. Manuelina Maria Duarte Cândido
Prof. Ms. Pablo Fabião Lisboa
Arquivo PDF (aqui)
Resumo

Este trabalho visa compreender a percepção do patrimônio natural não apenas enquanto natureza, mas também como patrimônio cultural. Para justificar tal compreensão, discute a noção de patrimônio natural e como este tem sido historicamente dissociado de sua contraparte cultural, e sugere um patrimônio híbrido, que se baseia em uma simetria entre cultura e natureza. Acessa as percepções e os usos de três áreas verdes de Goiânia através da aplicação de questionário desenvolvido para este fim, e discute os resultados obtidos sob a ótica do patrimônio natural como cenário de fazer cultural, analisando também a relação percebida entre esses espaços e museus.

 

Título

A Criação do Museu de Ciências da UFG: Metodologias e o projeto executivo de comunicação

Aluno(a) Michele Ferreiras Martins
Orientador(a) Prof. Ms. Pablo Fabião Lisboa  
Banca Profa. Dra. Camila Azevedo de Moraes Wichers  
Profa. Dra. Ivanilda Andrade Aparecida Junqueira
Arquivo PDF (aqui)
Resumo

Este estudo trata do processo de articulação e criação do Museu de Ciências da UFG, concebido como um museu em rede a partir da reunião dos núcleos museológicos que pertencem a diferentes áreas do conhecimento dentro Universidade Federal de Goiás (UFG). A partir de uma metodologia qualitativa e interdisciplinar, com base na análise documental e em referenciais teóricos da Museologia, da Divulgação Científica e da Comunicação, é realizado um panorama da realidade vivida durante o processo de constituição do Museu de Ciências em Rede da UFG e apresentado uma proposta para o Projeto Executivo de Comunicação. Na medida em que esta proposta visa otimizar os recursos humanos e financeiros, por meio do estabelecimento estratégias planejadas e de colaboração na área de comunicação para os núcleos museológicos em questão, fica evidente a relevância do processo de articulação em rede desses núcleos visando a potencialização das atividades de divulgação científica do Estado de Goiás.

 

Título Espaços, Silêncios e Gênero: A invisibilidade de Dona Gercina Borges no Discurso Expográfico do Museu Pedro Ludovico Teixeira
Aluno(a) Raquel Corino de Araujo 
Orientador(a) Prof. Dr. Rildo Bento de Souza  
Banca Prof. Dr. Jean Tiago Baptista
Prof. Tony Willian Boita
Arquivo PDF (aqui)
Resumo

O presente trabalho se dedica ao estudo da importância, em apresentar como Dona Gercina está presente, no Museu/Casa Pedro Ludovico, e assim desfazer quaisquer vestígios de anonimato a sua imagem no museu. Abordando as obras/objetos pessoais que marcaram a vida do casal Ludovico, e que estão expostas no museu, compreendendo que os museus são espaços múltiplos que abordam diferentes áreas de pesquisas e análises, e nesse âmbito de possibilidades, abordamos o silenciamento em torno da Dona Gercina que é tido nesse espaço, tendo em consideração a visibilidade apresentada por nossa proposta de percurso por meio das imagens coletadas no museu. Queremos afirmar que Dona Gercina esta muito bem representada, de forma sutil e ao mesmo tempo exalada em cada espaço de sua casa, e essa afirmação se da, por meio do acervo pessoal do dia a dia do casal que permanecem expostas no museu, com imensa riqueza de sensações femininas agregada em cada objeto. E o que queremos é demonstrar o percurso com fotografias do Museu e seu rico acervo, onde constatamos essa presença em cada espaço da casa. E a partir daí, temos uma análise crítica das referências memoráveis, onde é glorificado no Museu/casa, apenas Pedro Ludovico, mas salientamos aqui a visibilidade representada e não esquecida no Museu de Dona Gercina.

 
2016/2

Título CADÊ O MONUMENTO QUE ESTAVA AQUI? Distintas concepções de Patrimônio em meio aos discursos de revitalização da Praça do Trabalhador
Aluno(a) Julianna Carvalho de Oliveira
Orientador(a) Prof. Glauber Guedes Ferreira de Lima
Banca Prof. 
Prof. 
Arquivo PDF (aqui)
Resumo

 

 

 

Listar Todas Voltar